Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Malik, uma outra forma de poesia...

Malik, uma outra forma de poesia...

Deslumbramento

 

corpodemulher1.jpg

 

 

Ouvi um poeta cantar

seu amor à natureza,

às montanhas e ao mar

às estrelas, ao luar

paraísos e beleza;

 

Dei por mim a procurar

pela maior perfeição,

difícil de encontrar

comecei a vasculhar

o meu próprio coração;

 

Paisagens, animais, melodias

de tudo um pouco encontrei,

coisas simples, alegrias

que com o passar dos dias

sem perceber as guardei;

 

Mas nada se assemelhava

ao que o poeta cantou,

até seu olhar brilhava

quando da natureza falava

todo o mundo o adorou;

 

Navegando o pensamento

desfolhei um malmequer,

as folhas, levou-as o vento

que me trouxe o deslumbramento

do corpo de uma mulher!

 

Malik

 

 

Um gatinho

 

 

 

gato1.jpg

 

 

 

Regressava eu a casa

às tantas da madrugada

numa noite de luar,

caminhando pela rua

sombria, deserta, nua

pareceu-me ouvir miar;

 

Parei e fiquei atento

não fosse a voz do vento

a tentar-me confundir,

fiz o silêncio devido

apurei o meu sentido

e um miar voltei a ouvir;

 

Qual não foi o meu espanto

quando surge por encanto

um gatinho bem parecido,

saído de um jardim

caminhava para mim

como quem está perdido;

 

Um dilema a nascer

sem saber o que fazer

retomei o meu caminho,

andando bem devagar

indeciso, a pensar

atrás de mim o gatinho;

 

Seguiu-me até casa

junto à lareira sem brasa

deitou-se sem qualquer drama,

de manhã ao acordar

o gatinho fui encontrar

junto aos pés da minha cama!

 

Malik

 

Um Anjo no caminho

 

 

Anjo.jpg

 

 

Cansado da vida, no stress enjaulada, decidi partir

mochila às costas,  fiz-me ao caminho, sem saber por onde ir,

dias a fio, andei sem destino, sem olhar para trás

colinas e rios, vales e montanhas, procurando por paz;

 

A noite caía, pegava na lua, p’ra minha almofada

ficava pensando, buscando um sentido, p’rá vida pesada,

olhava as estrelas, sentadas no céu, bem perto de Deus

sorrindo aos homens, até à aurora, hora do adeus;

 

Antes de dormir, fazia uma prece, de amor e perdão

pedindo aos anjos, duendes e fadas, que me dessem a mão,

na última noite, um Anjo desceu, e veio até mim

contou-me um segredo, regressou voando, para o seu jardim;

 

Quando acordei, pensei que estava, ainda a sonhar

lembrei do segredo, ergui-me sem medo, decidi voltar,

todo o caminho, percorri sozinho, sem pranto ou dor

cheguei ao destino, para dar carinho, e falar de amor.

 

Malik

 

Renascer

 

passion.jpg

 

 

Trazia um vazio no peito

saudade meia sem jeito

algo jamais sentido,

demorei a compreender

que a lacuna a preencher

era amor nunca vivido;

 

Chegaste de azul vestida

entraste na minha vida

verdadeiro furacão,

sinfonia em sintonia

numa tranquila harmonia

alternando com paixão;

 

Se a lareira falasse

talvez o mundo corasse

ao saber o que ela viu,

corpos despidos de pudor

em loucas noites de amor

que o desejo construiu;

 

Era uma doce loucura

amor com tanta ternura

era um novo viver,

dois amantes entrelaçados

pela vida marcados

destinados a renascer.

 

Malik

 

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D