Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Malik, uma outra forma de poesia...

Malik, uma outra forma de poesia...

Uma terna canção

 

 

umaternacancao1.jpg

 

 

 

Hoje é um dia vulgar

sem qualquer comemoração,

estou para aqui a magicar

uma forma de o tornar

dia de recordação;

 

Talvez um instrumental,

uma peça de teatro,

um esboço de retrato

que realce de facto

teu rosto sem rival.

Com amor, tacto

e linguagem frontal.

 

Não.

Antes,

uma terna canção

com letra da alma

e música do coração.

 

 

Malik

 

 

Ventos

 

 

ventos1.jpg

 

 

 

 

Ventos

de outros tempos

trouxeram-nos até aqui.

Agora,

deitado a teu lado

fico acordado

alinhavando o sonho,

arrumando o passado.

Agora,

ventos deste tempo

sopram-me ao ouvido

vivam o momento

esqueçam o tempo

do vento antigo.

O vento que chega

o vento que fala

não é de ninguém

e felizmente

ninguém o cala.

 

 

 

Malik

 

 

 

Sofrer

 

 

sofrer1.jpg

 

 

 

 

Há quem lhes chame de etapa

para outros é capítulo

sem referência na capa

e nem merecem ter título;

 

Parte integrante da vida

exageros do sofrer

exigem luta desmedida

sob pena de perder;

 

São cinzento bem escuro

ou mesmo negro total,

não me venham com bonanças

pois quando nestas andanças

até isso corre mal;

 

Porém,

de cada história

fica a memória

de a ter vivido,

e tantas vezes

a honra e glória

de ter vencido!

 

 

Malik

 

 

Ninguém

 

 

ninguem1.jpg

 

 

 

 

Ninguém,

não é ser pois não existe,

qualquer ser, por mais triste,

será sempre alguém.

 

Eu não alcanço a razão

de haver quem faça questão

de fazer um ser sentir

que nada mais é que um ninguém.

Sobre esses eu antevejo

um amanhã de desejo

de que lhes chamem de alguém.

 

Não há bela sem senão

nem causa que não tenha efeito,

mas há gente sem coração

que nem merece perdão

pela falta de respeito

e vazio de compaixão

que habita no seu peito.

 

Ninguém,

será sempre alguém!

 

 

Malik

 

 

Sementes

 

 

sementes1.jpg

 

 

 

Há sementes que lançamos

sem consciência do feito,

ficam caminhos minados

de desencontros, enganos

e de lágrimas no peito;

 

Se a consciência é severa

tudo vai esmiuçar,

por mais longa que seja a espera,

sem quimera mas sincera

resposta vai encontrar;

 

Certo é que raramente

a solução é serena,

nós lançamos a semente

fizemos gente contente

saímos pela porta pequena;

 

Tudo na vida é lição

e nas coisas do coração

semear não é excepção.

 

 

Malik

 

 

Malmequer

 

 

malmequer1.jpg

 

 

 

Sem malmequeres no campo

fica perdido o encanto

de um tempo que não quer voltar,

resta saudade real

de desejos sem mal

como o de te beijar;

 

Quem sabe na primavera

acabará  essa espera

quando o campo voltar a florir,

começo assim a sonhar

com acolher teu regressar

e eu a voltar a sorrir;

 

Daqui, da minha janela

nunca vi flor mais bela

do que o simples malmequer,

que chegue logo o seu tempo

para que a todo o momento

te possa amar Mulher.

 

 

Malik

 

 

Sol que não aquece

 

 

solquenaoaquece1.jpg

 

 

 

 

Faz outono no meu coração

chuva, raio, trovão

e sol que não aquece

esta alma que padece

de frio e solidão.

 

Dói-me o gelo que queima

as emoções no meu peito

o vazio no meu leito

e até as recordações,

memórias

que não histórias

de fantasias reais

que não voltarão jamais.

 

Este gelo que me queima,

este sol que não aquece...

 

 

Malik

 

 

Segue a luz

 

 

seguealuz1.jpg

 

 

 

A tua vida passada

pareceu-te cruz pesada

pois nada havia a arrepender,

porém não faças lamento

porque num breve momento

tudo vais compreender;

 

Nessa viagem terrena

quantas vezes foste antena

de energia negativa,

deste-lhe valor pequeno

no meio de tanto veneno

que circula nesta vida;

 

Também semeaste amor

partilhaste muita dor

viveste o rir e o chorar,

esse ciclo está fechado

não estou mais a teu lado

mas não deixo de te amar;

 

É um novo advento

que traz consigo o tempo

de um outro caminhar,

confia e segue a Luz

é o caminho para Jesus

que tudo vai perdoar.

 

 

Malik

 

Velho banco de jardim

 

 

velhobancodejardim1.jpg

 

 

 

Velho banco de jardim

testemunhando ao longo do tempo

histórias sem fim,

tristes, bonitas,

abençoadas, malditas,

como num folhetim;

 

Ano após ano

estação após estação,

verdadeiras fitas

dignas de cinema

desfilam no banco

em forma de poema;

 

Promessas e juras,

beijos roubados

sonhos de aventuras

alicerçados

em tantas loucuras

de amores sem pecado;

 

O velho banco tem na memória

muito de vidas

anos de história.

 

 

Malik

 

 

Maresia

 

 

maresia1.jpg

 

 

 

Assistir à alvorada

inalando maresia

é ver o nascer de um dia

com esperança de alegria

e ficar de alma lavada;

 

Não há muitas sensações

como encher os pulmões

junto ao mar de madrugada,

desencalham-se emoções

geram-se soluções

de leveza inesperada;

 

Bateria carregada

para trás não fica nada

que não pudesse ficar,

coração aliviado

agora mais preservado

do que o estava a minar;

 

Nada como a maresia da alvorada

para dar sentido a uma vida

que se julgava perdida.

 

 

Malik

 

 

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

© 2017 Malik. Todos os direitos reservados.